Tarô e Autoconhecimento


O tarô tem sido conhecido mais pelo seu caráter adivinhatório. As pessoas o buscam para saber seu futuro, mas muitas vezes não entendem o que um oráculo significa de fato. Não percebem que ele apenas reflete o próprio consulente e suas ações no passado, presente e futuro. O querer saber tem como motivação a ansiedade e o medo, e não uma compreensão sábia de sua própria vida, do que construiu e projeta.

Então, o tarô em si não tem nada de mágico, ele só revela. Mas além desse caráter adivinhatório, temos a leitura terapêutica, que prima pelo autoconhecimento, pela compreensão de que o consulente tem o poder de mudar seu futuro, conhecendo-se no presente. E isso é possível porque tanto na leitura adivinhatória, quanto na terapêutica, as cartas refletem o inconsciente pessoal e coletivo, são representações dos conteúdos internos do consulente e do seu ambiente.

Deixo aqui uma reflexão com base numa carta do Tarô Zen.


A carta da não-materializade nos fala de um estado prévio, vazio, onde se encontra potencialmente o "tudo". Nesse tudo vibram todas as possibilidades, que ainda não estão manisfestas, mas contidas ali.

Estar nesta não-materialidade em alguns momentos da vida pode gerar ansiedade, pois tememos não ter aparentemente nada para se apegar, ou literalmente pegar. Nosso ego precisa da materialidade para achar que existe, que tem uma identidade, e termina com isso se desconectando de um estado mais amplo de seu ser, interligado a tudo e a todos. 

Podemos literalmente nos encontrar com o significado dessa carta em vários momento de nossa vida, e principalmente quando optamos por trilhar o caminho da meditação do calmo permanecer, aquela que nos leva a acalmar os pensamentos para ir ao encontro de outro estado de nossa mente. Mas de forma mais prática, podemos entrar em contato com este estado quando vamos começar algo novo, algo que não temos a garantia de como será. Tudo pode acontecer. 

A lição primordial dessa carta na nossa trajetória, é nos lembrar que seja qual for o novo que apareça, ou optarmos em nossa trajetória, ele trás em si esse estado de não-materialidade. O novo é só uma possibilidade. Se não der certo, ou se der certo, no final não importa, pois o mais importante é compreender a lição, é experimentar sem apego.

Então, o segredo é se familiarizar com este estado de ser que está em nós, que contém a potencialidade de tudo, mas que se materializa da maneira que consciente ou inconsciente escolhemos. Não nos apegando às suas aparências, vamos deixando a ansiedade de lado, e experimentando a vida e suas lições. Dá medo? Sim, mas você pode escolher se paralisar por causa do medo - e isso não vai  priva-lo do sofrimento, mas possivelmente da alegria e do amor genuínos - ou levar o medo com você num tour pela vida!!!


Até mais!!!

Juliene Macedo


Comentários