Postagens

Bolo de banana e chococôco da Ju (Sem glúten e lactose)

Imagem
Ingredientes:
- 4 bananas pequenas amassadas (ou 3 médias);
- 3 ovos batidos;
- 1/2 xícara de açúcar mascavo;
- 2 colheres de óleo de côco;
- 1/2 xícara de leite de côco;
- 1/2 xícara de côco ralado;
- 1/2 xícara de aveia (usei sem gluten);
- 1/2 xícara de farinha de arroz;
- 3 colheres de sopa de amido de milho;
- 1 colher cheia de sobremesa de fermento em pó. * Assadeira média untada. Modo de fazer: Ascenda o forno à 180 graus. Coloque as bananas amassadas numa vasilha e vá acrescentando, um a um, os ingredientes acima na ordem escrita, misturando a cada acréscimo. Despeje a massa na forma e leve ao forno por cerca de 20 minutos (até enfiar o palito e ele sair limpo). Eu coloquei numa assadeira média para ele ficar mais fino mesmo. Opcional: assim que sair do forno, coloque uma barra de chocolate em cima e deixe derreter, espalhando depois com uma espátula para ficar de cobertura. By Ju <3 Vou tentar fazer a versão vegana! :)

Silêncio

Imagem
Um dia desses, eu fiz um retiro de um dia de silêncio... Ficar sem falar não é exatamente o meu problema, para quem me conhece... rsrsrs E um retiro de silêncio não significa necessariamente ficar sem falar. Mas ficar sem falar pode criar condições para aquietar a mente e simplesmente observar.
Um retiro o força a parar, e observar a mente. Apesar de não falar muito, minha mente é bem ativa, então fazer um retiro de silêncio mostra muitas coisas e é desafiante. É impressionante como nossa mente é tagarela e repetitiva. E é essa tagarelice que nos impede de nos conectarmos num nível mais profundo com a nossa mente-coração, com o nosso ser.
O ego gosta de se apropriar da tagarelice da mente e da influência externa para se mover no mundo. O nosso ser nos fala por meio do coração, da sabedoria interna. Quando não temos contato com o nosso ser, o ego finge que é autônomo e não percebe o quão fantoche é de seus pensamentos e emoções. O meio de se reconectar é pelo silêncio, pelo aquietar d…

Seguindo sua Intensidade

Imagem
Esta carta do Tarô Zen é muito significativa. Ela tem o elemento fogo, tem movimento e direção. Contudo esta energia não corresponde a um movimento sem intenção. Ela não é como a intensidade egoica que muitas vezes é desordenada e emotiva.
Aqui a energia vem de dentro, de quem sabe por onde ir, porque está conectado com sua essência. Ela segue um movimento próprio de quem conduz a sua vida a partir do seu centro para fora, e não a partir das opiniões que vem de fora para dentro, sem discernimento por causa da necessidade de aceitação.
Se eu fosse escrever para você agora, com base nessa carta, sem saber quem você é e o que está passando, o que poderia lhe dizer?
Saiba que você tem um fonte de energia interna, que aquece e ilumina. Quando você não tem consciência dela, pode deixar que muitas coisas na sua vida sirvam para "nublar" a sua consciência. Então, tudo pode parecer sem sentido, você pode colocar valor em coisas que não o definem, pode se sentir tão carente que aceit…

Como lidar com a Insatisfação?

Imagem
O que gera a insatisfação?
Pode ser literalmente uma má alimentação...Muitas toxinas no intestino... rsrs
É impressionante como nosso corpo está interligado! Mas além desse cuidado com a saúde e estilo de vida, que muitas vezes passa despercebido pelas pessoas, há níveis de insatisfação que podem gerar muitos problemas.
A insatisfação em seu aspecto positivo pode surgir para gerar mudanças em nossa vida, que podem ser de ordem física, psicológica e/ou espiritual. O problema é quando não olhamos para ela, para descobrirmos sua necessidade subjacente. Daí, seu aspecto negativo passa a ser a contaminação da mente e do coração, se confundindo com o que achamos que é nossa personalidade. Sua principal forma de manifestação é a reclamação: sempre há algo para se reclamar... A mente se habitua a isso... Todos os dias... Da mesma forma... Repetidamente, gerando toxinas para todo o corpo.


Quando acostumamos com este estado de mente, a insatisfação pode ir gerando silenciosamente um estado dep…

Sentindo o Coração (Parte 2)

Imagem
Eu estava dando uma olhada na lista de minhas postagens e me deparei com o título "Sentindo o Coração (Parte 1)... Bem, tem que ter pelo menos a parte 2, não é?

Então, vamos lá!! O caminho de ouvir a sabedoria do coração não é fácil, requer coragem, resiliência e familiaridade, pois os pensamentos muito mentais podem interferir constantemente, querendo desviar você do caminho. Há pensamentos que vem de processos profundos de reflexão e estão conectados com o coração, mas quando eles são muitos mentais, geralmente vem carregados de uma poluição e ruminação que não tem fim. Totalmente desconectados do coração, esses pensamentos tendem à fragmentação, e muitas vezes tem como base a ansiedade e o medo.

Sentir o coração, como já disse, é diferente de ser levado pelo ruído mental e pelas emoções. Requer parar, silenciar, para sentir. Requer se escutar e se acolher!


Tarô e Autoconhecimento

Imagem
O tarô tem sido conhecido mais pelo seu caráter adivinhatório. As pessoas o buscam para saber seu futuro, mas muitas vezes não entendem o que um oráculo significa de fato. Não percebem que ele apenas reflete o próprio consulente e suas ações no passado, presente e futuro. O querer saber tem como motivação a ansiedade e o medo, e não uma compreensão sábia de sua própria vida, do que construiu e projeta.

Então, o tarô em si não tem nada de mágico, ele só revela. Mas além desse caráter adivinhatório, temos a leitura terapêutica, que prima pelo autoconhecimento, pela compreensão de que o consulente tem o poder de mudar seu futuro, conhecendo-se no presente. E isso é possível porque tanto na leitura adivinhatória, quanto na terapêutica, as cartas refletem o inconsciente pessoal e coletivo, são representações dos conteúdos internos do consulente e do seu ambiente.
Deixo aqui uma reflexão com base numa carta do Tarô Zen.

A carta da não-materializade nos fala de um estado prévio, vazio, onde s…

Quer aprender uma língua com um nativo refugiado?

Imagem
O Brasil acolhe e já acolheu muito imigrantes, e é tão bonito ver toda esta diversidade fazendo a diferença. Em diferentes regiões de nosso país podemos identificar a influência e contribuição dos imigrantes, e o quanto muitos adotaram realmente o Brasil como um lar.

Dentre os imigrantes, encontram-se os refugiados, aquelas pessoas que saíram do seu país de origem por causa das guerras e situações precárias. No Brasil até onde sei é possível eles obterem um visto humanitário para viverem aqui.